Essa foi a primeira doação de instituições do Norte do Brasil para ajudar a reconstruir o acervo do Museu Nacional. Uepa entregou ainda amostras que estavam emprestadas e foram poupadas do incêndio.

Espécimes de insetos foram entregues ao Museu Nacional. — Foto: Nailana Thiely/ Ascom Uepa

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) doou uma amostra com 200 espécies de insetos para ajudar a reconstruir o acervo do Museu Nacional do Brasil. Além dessa amostra, a universidade devolveu 314 espécies que estavam emprestadas e foram poupadas do incêndio.

Essa foi a primeira doação de instituições do Norte do país para ajudar a reconstruir o acervo do Museu Nacional. No acervo estão os gafanhotos-pigmeu e as esperanças, insetos miméticos, de coloração amarronzada ou esverdeada, característica dos habitats terrestres, em meio a folhas secas.

Os exemplares do pequeno acervo foram coletados em diversas regiões do Brasil e até mesmo de países da América Latina, como a Colômbia, caso do exemplar mais antigo que data o início do século XX.