Índios pedem reforço policial para combater a extração ilegal de madeira na reserva. Eles apreenderam caminhões, tratores e ferramentas de madeireiros.

Por G1 PA — Belém

Cerca de 80 índios da etnia Tembé, da aldeia Tekohaw, se reuniram para proteger as terras da Reserva Indígena Alto Rio Guamá, em Paragominas, sudeste do Pará. O clima é tenso na região. Segundo os índios, madeireiros estariam fazendo a extração ilegal de madeira na área.

Os indígenas denunciam os conflitos com os madeireiros e pedem reforços aos órgãos de segurança. Nesta segunda-feira (24), a Polícia Federal deve enviar uma equipe ao local para verificar a situação.

Na última semana, os Tembé apreenderam dois caminhões, dois tratores e ferramentas de madeireiros que estavam fazendo a retirada de madeira de dentro da área. O grupo teme por ataques dos madeireiros para tentar resgatar esses maquinários.

Depois da apreensão, houve uma reunião entre o Ministério Público Federal, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e algumas lideranças indígenas. Mas, nenhum plano de ação foi realizado e os indígenas cobram providências para resolver os problemas.

Segundo os indígenas, nenhuma pessoa foi mantida refém na área e não há registro de pessoas feridas. A Tekowal é a maior aldeia das 26 que compõem a terra indígena do Alto Rio Guamá.

A Fundação Nacional do Índio (Funai) foi acionada e disse que está ciente do conflito. O MPF não vai se posicionar sobre o caso, mas disse que está acompanhando a situação.